5 RECEITAS USANDO PANCs (PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS)

Incluir PANCS no seu cardápio é se abrir à várias novas possibilidades de texturas e sabores.


PANC é a sigla para plantas alimentícias não convencionais - ou seja, vegetais que podem ser consumidos, mas não estão habitualmente na mesa dos brasileiros. O conceito de "não convencional' varia no espaço: uma planta pode ser considerada uma PANC em São Paulo mas não na Caatinga, onde é comum.



As PANCs caíram no gosto dos chefs do Brasil inteiro e estão ganhando espaço. Incluí-las no cardápio é se abrir à oportunidade de experimentar uma grande variedade de sementes, castanhas, raízes, folhas e frutos e consumir um mundo novo de nutrientes. Selecionamos 8 receitas para você experimentar.


1. Cogumelos com monguba

Foto: Neide Rigo/Estadão

A Monguba vai bem crua, como petisco, ou cozida, assada, ou até triturada como farinha. Para conservá-las por mais tempo, é bom embalar em plástico e guardar na geladeira. Outra ideia é congelar já depois de cozidas e despeladas. A pele sai fácil quando cozida, bastando fazer um pequeno corte e apertar que a castanha limpa sai como tremoço.


Ingredientes

2 colheres (sopa) de manteiga 2 colheres (sopa) de shoyu 250g de castanhas de monguba 500g de cogumelos variados 1/2 pimenta dedo-de-moça sem sementes em tirinhas

1/2 xícara de cebolinha picada

Preparo

1- Lave as castanhas e cozinhe-as em panela com água por 20 minutos ou até ficar macia à mordida. Com uma faca de legumes, faça um corte na casca e aperte para a castanha escorregar.


2 - Coloque numa frigideira a manteiga e o shoyu e misture até a manteiga derreter.


3 - Junte as castanhas e misture.


4 - Acrescente os cogumelos (se usar cogumelo-de-paris, coloque-o dois minutos antes que os demais). Misture e deixe cozinhar por dois minutos ou até que fiquem macios.


5 - Prove o sal e junte mais shoyu se necessário.

6 - Desligue o fogo, junte a pimenta e a cebolinha. Sirva com arroz branco.


2. Sopa de abóbora com beldroega

Foto: Conceição Trucom/Doce Limão

Para aqueles dias frios, uma sopinha de abóbora com um toque especial desta PANC vai te deixar quentinha. A beldroega, também conhecida como onze-horas, se tornou erva daninha em boa parte da América do Sul, de tão rápido que ela se espalhou. Suas folhas têm um sabor ligeiramente ácido e salgado, perfeito para pratos quentes.


Ingredientes


1 kg de abóbora (Pode ser do tipo que preferir. Precisa ser picada para bater melhor no mix)

2 xícaras (chá) de beldroega (Picada na mão, com folhas, talos e flores)

1/2 colher (sobremesa) de açafrão-da-terra (ou cúrcuma)

1/2 colher (sobremesa) de gengibre (Ralado)

1 unidade de pimenta-de-cheiro (malagueta) (Picada em pedaços pequenos)

1xícara de flor de capuchinha (Para decoração)

1 pitada de sal marinho (A gosto)

1 punhado de salsinha (A gosto)


Preparo


1. Colocar a abóbora para cozinhar até ficar macia o suficiente para bater no mix ou liquidificador.


2. Em seguida, colocar a beldroega, as raspas de limão, o gengibre, a cúrcuma e, por último, a pimenta e o sal.


3. Finalizar com a capuchinha que deve ser colocada na hora de servir.


3. Patê de biomassa de banana verde com tomilho

Foto: Amanda Marfil/Kiko Sierich

Perfeito para servir com aperitivos e no cafezinho da tarde. Para algumas pessoas o tomilho já é de casa, mas a erva originária do Mediterrâneo ainda é pouco explorada nas casas brasileiras. Acredita-se no seu poder medicinal, alegando que ela seria um poderoso estimulante de apetite.


Ingredientes


2 unidades de banana (As bananas precisam estar verdes)

1 xícara (chá) de água (A água precisa estar fervente)

1 unidade de beterraba

3 ramos de tomilho

1 ramo de alecrim

3 colheres (sopa) de azeite de oliva

2 dentes de alho

2 colheres (sopa) de vinagre de maçã

pitada de sal (A gosto)


Preparo


1. Lave as bananas, corte as pontinhas e cozinhe na panela de pressão por 10 minutos após pegar fervura.

2. Com cuidado, descasque-as ainda quentíssimas e bata no liquidificador com uma xícara de água quente até ficar um creme. Se estiver muito difícil de processar, acrescente mais um pouco de água fervente. Reserve.

3. Corte a beterraba em 4 partes, tempere com o sal, o azeite e as ervas, embrulhe em folhas de bananeira (pode ser papel manteiga ou papel alumínio) e leve ao forno por 30 minutos, até que fique macia.

4. Depois de assada, bata a beterraba com a pasta de banana verde, o alho e o vinagre. Acerte o sal e a pastinha estará pronta.


4. Cuscuz com coração de bananeira e açafrão da terra

Foto: Adriana Vernacci

Esta receita é chamativa pelas cores e também pelo aroma que vai se espalhar pela casa toda. O coração da bananeira é a parte onde nascem os cachos da banana, e tem esse nome devido ao seu formato igual ao de um coração. Apresenta uma textura muito parecida com a do palmito e um gosto amarguinho.


Ingredientes


1 kg de farinha de milho

150 mililitros de azeite

200 gramas de ervilha (Pode substituir por vargens)

200 gramas de cenoura (Picada em cubos pequenos)

150 gramas de cebola (Picada em cubos pequenos)

200 gramas de coração de bananeira (Escaldado 2 vezes e picado em cubos pequenos)

200 gramas de tomate (Picado em cubos pequenos)

100 gramas de açafrão-da-terra (ou cúrcuma) (Ralado)

50 gramas de alho (Picado)

100 gramas de salsinha (Picada)

100 gramas de cebolinha-verde (Picada)

100 gramas de castanha de caju (Para decorar)

500 mililitros de água

1 pitada de sal


Preparo


1. Em uma panela, refogue o alho e a cebola no azeite.


2. Introduza a ervilha, o coração de bananeira, a cenoura, o tomate, o açafrão e a água.


3. Cozinhe por aproximadamente 10 minutos.


4. Coloque a salsinha, a cebolinha, o sal e, se quiser, acrescente outras especiarias a gosto.


5. Desligue o fogo e deixe esfriar.


6. Coloque ¼ da farinha de milho no refogado e mexa bem. Ligue o fogo novamente e, aos poucos, despeje o restante da farinha de milho até que fique uma mistura homogênea e não tão dura (mais cremosa possível), no ponto de desgrudar da panela.


7. Em forminhas pequenas (pode ser de empadas), decore os recipientes com salsinha e castanha de caju ao fundo.


8. Despeje a mistura e deixe esfriar para desenformar.


5. Bolinho de arroz com taioba

Foto: Conceição Trucom/DoceLimão

Bolinho de arroz é uma tradição brasileira, assado fica ainda mais saudável. A taioba é muito rica em nutrientes e minerais, como as vitaminas A, do complexo B, além de cálcio e ferro. Super aliada à saúde, ela ajuda a combater a anemia e fortalece o sistema imunológico. É importante saber que nem toda espécie dela é comestível, como é o caso da taioba-brava, que possui uma substância que pode causar asfixia.


Ingredientes


2 xícaras (chá) de arroz cateto integral (O arroz cateto integral é melhor, ele fornece mais liga para a receita)

2 colheres (chá) de leite de coco

2 dentes de alho

1 pimenta vermelha (De preferência a dedo-de-moça, sem caroço e bem picada)

1 xícara de taioba (As folhas precisam ser picadas)

1 xícara de manjericão (As folhas devem ser picadas)

2 castanha-do-pará (As castanhas precisam estar previamente hidratadas por 12 horas)

Sal marinho à gosto

2 colheres (sobremesa) de sementes de linhaça (A linhaça deve ser processada na hora em um liquidificador, sem prévia hidratação)

1 colher (chá) de Fermento em pó


Preparo


1. Comece processando o arroz na lâmina “S” e reserve. Em uma panela, amorne o alho, a pimenta e a taioba, para dar uma refogada de leve. Junte o manjericão picado e desligue o fogo.


2. Junte no arroz levemente processado a taioba já refogada com as castanhas raladas, o sal e a linhaça.


3.Formar os bolinhos com duas colheres e colocá-los em uma forma untada até terminar. Assar em forno pré aquecido a 180° por cerca de 30 minutos, ou até que estejam sequinhos.


4. Sirva quente ou frio. É possível substituir a taioba por bertalha, espinafre, ora-pro-nóbis e outros verdes varonis.


Fontes: https://mdemulher.abril.com.br/ ; https://paladar.estadao.com.br/.

15 visualizações

©2020 por Conflor Jr. Orgulhosamente criado com Wix.com